sábado, 26 de janeiro de 2008

Açores vão tornar-se campo de treino militar aéreo norte-americano???!!

A edição on-line do semanário «Expresso» noticia: «Estados Unidos [da América] querem treinar novos caças e testar mísseis hipersónicos nos Açores», assunto a que também o «Diário Insular» já havia dado enfoque: «Confirmadas negociações entre Portugal e EUA para campo de treino no Atlântico: propostas e contra-propostas para treino a partir [da base aérea] das Lajes [na ilha Terceira]». Sem se querer causar qualquer desmesurado alarme público, atente-se com a devida inquietude em algumas notícias acerca de acontecimentos recentes com aviões militares [portugueses] em Penamacor (pequena vila do distrito de Castelo Branco): «Voos [rasantes] assustam população», «Habitações danificadas devido a [passagens rasantes de] aviões da Força Aérea Portuguesa» e «Força Aérea diz que estrondos foram provocados por aceleração inadvertida de F-16».

Como se pode constatar pela imagem do mapa [acima deste texto], a proposta (inicial) da Força Aérea norte-americana incluia o espaço aéreo do Corvo (senão mesmo parcialmente também o das Flores) [área a castanho no mapa, delimitada a vermelho], que terá recebido a contraproposta da Força Aérea Portuguesa para utilização dum espaço bastante mais reduzido e afastado das ilhas [área mais escura no mapa, delimitada a azul].

Deveria deixar-nos extremamente preocupados esta (ainda) mera possibilidade [aventada pelas notícias citadas no início deste texto] de o espaço aéreo dos Açores se vir a tornar um extenso campo de treino de aviões militares e de teste de mísseis norte-americanos. Se não for pelas estritas razões de defesa do nosso pacato bem-estar, calmo e sereno nas ilhas atlânticas; que seja pelas também justificadas razões de claramente se saber qual o fim último que terão estes treinos e testes de armamento militar yankee: muitas e muitas guerras por esse Mundo fora... Citando Gandhi: «A força de um ser humano (e de um povo) está na não-violência. Experimentem.»

20 comentários:

Anónimo disse...

Será que o nosso potencial turístico de que se tem falado ultimamente por aqui não passa de uma utopia?

Anónimo disse...

Mais uma vez os Açores não são ouvidos.
Que raio de autonomia é esta?
A Assembleia Regional tem que impôr a Lisboa a nossa SOBERANIA sobre a nossa ZEE.
oU OS NOSSOS DEPUTADOS SÓ SERVEM PARA RECEBER O CACAU?

Anónimo disse...

livre administração dos Açores,pelos açorianos.

Anónimo disse...

O que ó César tem a dizer?Vai baixar de novo a espinha a Lisboa?

Anónimo disse...

E assim mesmo: para santa cruz. já sabem que não vale apena tentar sobre o concelho das Lajes porque o JL não deixa

Anónimo disse...

SC é conhecida por TACHOlândia.
Por que será?

Anónimo disse...

Espero que esta ideia de um campo de treino Norte Amaricano nos Açores que acabe em zero, para barulho basta aqueles pretos cargueiros quando levantam ou aterão e à a meio da semana 4 F 16 que fazem escolta a um avião e eles passam por cima da minha casa e grande altitude e mesmo assim se ouve o barulho dos metores. Eu acho que antes de haver algum acordo teria de haver um referendo para saber se o povo está disposto a ouvir esta barulhada infernal. É que se fala tanto em turismo, e o turista vem de lugares muito barulhentos e quer é lugares calmos e é isto que as nossas ilhas nos dão. José Antonio.

Anónimo disse...

eles podem vir treinar para as lajes a camara apoia com maquinaria
pesada

Anónimo disse...

Essa teve piada!

identificado disse...

Eu não acho piada nenhuma e já estou FARTO dos comentarios estupidos sobre Lajes e Sta cruz.
acho que deviam ser apagados.

Anónimo disse...

As Lajes vai apresentar uma candidatura para construção duma estação de rastreio de satélites russos e dos foguetões que vão para a Estação Internacional.
Os franceses que fiquem por SC...

Anónimo disse...

josé António do comentário de 27/01 09:41 : sugeria que fosses estudar um pouquinho só de português, porque eu estou tão farto dos teus erros de português como tu estás do barulho dos aviões

Anónimo disse...

O JL é um comuna

Anónimo disse...

O JL é um homem do povo e tudo faz para ajudar o povo, ao contrário dalguns que só pensem na sua carteira e na dos seus....

Nelson Fraga disse...

Mais um facto que nos deve envergonhar a tod@s e que sempre deve ser lembrado quando se opina sobre o tema em apreço no presente texto publicado no blogue; veja-se o "bom" uso que os americanos fazem da base das Lajes: «Portugal cúmplice no transporte de mais de 700 prisioneiros para Guantanamo» [notícia da edição on-line do semanário «Expresso»].

Uma organização não governamental (ONG) britânica acusa Portugal de "cumplicidade" no transporte de 728 prisioneiros para a prisão mantida pelos Estados Unidos na base de Guantanamo, em Cuba, entre 2002 e 2006.

A Reprieve, uma ONG que se dedica a prestar assistência jurídica a prisioneiros a quem tenha sido negada justiça, divulgou esta terça-feira um relatório intitulado "Viagem da Morte" que diz provar de forma "conclusiva que o território e espaço aéreo portugueses foram utilizados para transferir mais de 700 prisioneiros para serem torturados e detidos ilegalmente em Guantanamo Bay".

Para chegar a esta conclusão, a ONG cruzou dados facultados pelas autoridades portugueses, informação do Departamento da Defesa dos EUA com as datas de chegada dos prisioneiros a Guantanamo e testemunhos de vários detidos.

Anónimo disse...

Olhando atentamente para o título da noticia e olhando no mapa acho um bocado ambíguo o título, deveria ser sim "Flores e Corvo vão tornar-se campo de treino militar aéreo norte-americano???!!"

Nelson Fraga disse...

olá!!
"comentando" o comentário anterior [das 14h42 de hoje, dia 31 de Janeiro]:

1) a questão é que num dos planos [na proposta da Força Aérea norte-americana] é (realmente) "apanhado" o espaço concreto das ilhas do Corvo e das Flores, sendo que no outro plano [na contraproposta apresentada pela Força Aérea portuguesa] não é "apanhado" nenhum espaço concreto de nenhuma ilha dos Açores; mas [em ambas as propostas] é sempre utilizado o espaço aéreo da Região. para além disso, os treinos dos caças e os testes dos mísseis serão sempre feitos algo longe do espaço concreto de qualquer das ilhas açorianas (em qualquer um dos planos em referência).
por tudo isso, julguei ser mais correcto usar o presente título, referenciando toda a Região e não apenas as nossas ilhas ocidentais.

2) de qualquer das maneiras, mesmo que não apanhe em concreto espaço nenhum das Flores e/ou do Corvo (ou qualquer outra ilha açoriana), preocupa-me na mesma estas negociações.
veja-se como o tema [das viagens-secretas da CIA com os "passageiros"/prisioneiros para Guantanamo] é lidado pelos principais partidos na Assembleia da República: «A ideia do PCP ia no sentido de um agendamento "imediato" da proposta de inquérito [parlamentar à passagem (escondida) por Portugal de prisioneiros para Guantanamo], para que exista "uma decisão rápida" sobre o assunto. Já em 2006 os comunistas tinham apresentado ideia igual, que foi rejeitada pelos votos conjugados do PS, PSD e CDS-PP, os partidos dos quatro governos por onde "passaram" os voos da CIA em Portugal», notícia do «DN» de ontem.
o que terão esses partidos [PS, PSD e CDS-PP] a esconder para não permitirem que haja uma simples Comissão de Inquérito da Assembleia da República à passagem dos voos da CIA por Portugal?? eu sigo o ditado popular: «quem não deve, não teme»...

Anónimo disse...

afinal é mentira que não há negociações entre america e portugal para um campo de treino nos açores.

Anónimo disse...

ainda bem que não hà! é que basta o barulho deste que estão nos açores e da aviação que atravessa o atlantico.

Nelson Fraga disse...

Preocupa-me bastante a tremenda desfaçatez e a enorme leviandade com que alguém [a coberto do anonimato] apelida outrém de mentiroso... Mais a mais, sem sequer se dar ao "trabalho" de apresentar quaisquer argumentos, nem referenciar nenhuns dados factuais e/ou documentais...

Mas tratando do assunto em causa e aqui em "discussão":

«O ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano Teixeira, afirmou "que não decorre no quadro do Governo português nenhuma negociação", [no entanto] confirmou a existência de "contactos informais" entre responsáveis da Força Aérea americana e o chefe do Estado-maior da Força Aérea portuguesa durante os quais "as autoridades americanas expressaram essa pretensão [de criação de um campo de treino para aviões militares e de teste de mísseis hipersónicos norte-americanos a Norte dos Açores], leia-se numa notícia da rádio TSF, às 20h31 de 7 de Fevereiro.

«O conselheiro para a imprensa e cultura da embaixada dos EUA em Lisboa, confirmou que Portugal e os EUA estão a explorar a possibilidade de as Lajes serem transformadas numa base de treinos para os novos caças norte-americanos, bem como para o sistema de armamento de mísseis hipersónicos.
Portugal e os EUA continuam a dialogar sem ter entrado ainda numa fase de negociações, com vista à transformação das Lajes numa base de treinos.
"Tem havido conversações, não estamos em negociações. É uma ideia que exploramos com Portugal e outros parceiros da NATO a toda a hora para melhorar a nossa prontidão e treino", afirmou Wesley Carrington»
, leia-se numa notícia da rádio TSF, às 11h21 de 6 de Fevereiro.

Enfim... pode discutir-se se com essas (ditas meras) conversações que (afinal talvez) ainda não serão negociações [entre portugueses e americanos], se ainda se estará numa simples fase do flirt e do engate e não ainda numa relação mesmo concreta... isso dependerá sempre das diferentes perspectivas [e da compreensão do "diplomatês"]... mas que há "caso", há! Não me venham dizer o contrário, "por amor de Deus"!!... Muito sinceramente, eu não imagino que nos «diálogos» desses «contactos informais» entre americanos e portugueses, eles andem simplesmente a falar de... «como está o tempo»... ou, então, de «como ontem choveu muito» e que «o vento norte é óptimo para se secar a roupa»...

1) É o próprio Ministro da Defesa português a dizer que «[os americanos já] expressaram essa pretensão [de criarem um campo de treino para aviões militares e de teste de mísseis hipersónicos, a Norte dos Açores]».

2) É o conselheiro da Embaixada dos EUA em Portugal a afirmar que ambos os países «estão a explorar a possibilidade de as Lajes serem transformadas numa base de treinos para os novos caças norte-americanos, bem como para o sistema de armamento de mísseis hipersónicos».