domingo, 23 de dezembro de 2007

Lar de Idosos de Santa Cruz necessita muito de obras de ampliação

O Lar de Idosos de Santa Cruz das Flores conta com 32 utentes, um número muito acima das reais capacidades de alojamento. O espaço é gerido pela Santa Casa da Misericórdia local.

Nestes dias festivos [da época natalícia] não faltarão os bolos de fruta, os chocolates, o bacalhau cozido com grão e o peru assado, como é de tradição. Para a festa de Natal, a Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz das Flores [SCMSCF] conta com a presença de grupos de crianças da catequese, que vão encenar peças de teatro e cantar músicas alusivas à época, e com os idosos do Lar da Casa do Povo e das freguesias locais. Na véspera de Natal haverá a distribuição das lembranças a cada utente da instituição, como vem acontecendo nos últimos anos. Durante a próxima semana haverá a celebração da missa, que é sempre muito participada.

O Lar de Idosos de Santa Cruz das Flores conta, neste momento, com 32 utentes, tendo uma capacidade para 27 pessoas, ou seja, "está completamente lotado e com muita necessidade de ampliação, sendo esta uma aspiração da Mesa Administrativa [da SCMSCF]", afirma Dora Valadão, provedora da Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz das Flores. O Centro de Dia está a ser frequentado por quatro pessoas.

Ao longo do ano comemoram-se os dias festivos, como o da Mulher, do Idoso e o aniversário do Lar. A instituição organiza, também, uma matança de porco. O dia de São Martinho, a festa do Divino Espírito Santo, o Carnaval, a Páscoa e o Natal são outros dos eventos assinalados. "Para além destes, temos os passeios semanais e os convívios tão do agrado dos nossos idosos. Os aniversários dos utentes são comemorados ao lanche, com bolo, velas e o cantar dos parabéns", refere. "A missa é celebrada no Lar, no entanto, de quando em vez, vamos à Igreja Matriz assistir à celebração da palavra. Os utentes assistem a peças de teatro e participam nas Festas de São João com um carro alegórico. Uma vez por semana têm uma aula de fisioterapia. No Lar funciona também um atelier de trabalhos manuais, orientado pela nossa animadora sócio-cultural".

Já há dois anos que a Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz das Flores participa na campanha «Ondinha Prevenido, Verão Divertido», que é comparticipada pela Secretaria Regional dos Assuntos Sociais, e que tem tido bastante sucesso entre as crianças da ilha. "Apoiamos, sempre que possível, actividades relacionadas com crianças e jovens, nomeadamente deslocações de estudantes em visitas de estudo, escuteiros e equipas de futebol infantil."

A instituição dispõe de um Centro de Atendimento e Acompanhamento Familiar. Esta valência é particularmente vocacionada para apoiar os beneficiários do Rendimento Social de Inserção.
O apoio ao domicílio abrange todo o concelho, à excepção da freguesia de Ponta Delgada. As refeições são distribuídas todos os dias, incluindo domingos e feriados. Funcionárias da instituição tratam também da higiene pessoal e da limpeza da casa.

Apoio a deficientes e doentes
O Centro de Atendimento a pessoas com deficiência é uma valência que engloba deficientes e portadores da doença Machado-Joseph, os quais usufruem, duas vezes por semana, de sessões de fisioterapia. Os utentes são apoiados por uma técnica de serviço social. Estas pessoas, explica Dora Valadão, "participam nos convívios do Lar, dão alguns passeios e comemoram os aniversários, sendo a sua deslocação assegurada pela instituição. Todas as valências da Santa Casa [da Misericórdia de Santa Cruz das Flores] são importantes. No entanto, damos particular ênfase a este Centro por abranger um sector bastante grande da população que sofre da doença de Machado-Joseph", conclui.

"Entrevista" integrante da edição de 21 de Dezembro do semanário regional «Expresso das Nove».
Saudações florentinas!!

4 comentários:

Anónimo disse...

Para quando o início da construção do lar do Hélio Silva???

Sandra disse...

Acho que o importante e que teria sido bem melhor devido as dimensoes da nossa ilha, nao tendo nada contra as Lages, o que devia ser feito era uma conjugaçao de esforços tentando ampliar o tamanho do lar de Santa Cruz, alias hoje em dia o cuidado para com as pessoas idosas passa muito pelo Apoio ao Domicilio, e isso sim trata-se de um cuidado para os utentes, porque as pessoas sabem que os nossos idosos nao querem muitas das vezes sair da sua casa e portanto há que apostar noutras valencia que nao so os lares!
Gostei do tema, ate porque me interessa!E gosto tambem do blog!
Bom ano 2008!

Anónimo disse...

a menina que ainda está muito novo que ainda nem sabe se algum dia irá parar a um lar da terceira idade e, eu como lagense que sou não estou entressado em ir passar o resto dos meus dias para um lar em santa cruz sabendo que a minha vila tem todas as condições de nos proteger e não nos deichar ir para outro lugar contra a nossa vontade sabendo que nós idosos cada vez tem a tarefa mais deficil é sair do seu cantinho onde sempre viveu. assina um idoso lagense.

Anónimo disse...

vais ter qeu vir para santa cruz
e bico calado