sábado, 1 de dezembro de 2007

Campanha de Apoio à Marina Lopes

É a primeira vez que escrevo algo para este blogue e faço-o hoje porque tenho uma voz que pulsa dentro de mim e me impele.

Estamos a entrar no mês de Dezembro, mês de Natal e de Fim de 2007... mês de festas e folias, que por sua vez devia ser mais quente no frio que nos encobre. Não deixemos por isso que nos falte o Calor humano, da Verdade, da Honestidade, da Humildade e da Solidariedade.

Ergo a minha voz neste blogue para tentar captar a atenção de todos vós, vos apresentar a situação da Marina Lopes e pedir a contribuição de todos! Se unirmos os nossos esforços estou certa que este capítulo no Livro da Vida da Marina será recheado de amor e alegria.

A Marina Lopes é filha do Victor Lopes e da Maria Luísa Freitas Lopes e neta do mestre José Augusto, nosso saudoso lobo-do-mar. A Marina desde criança sentiu pelo mar uma forte atracção e passava os dias dentro dos barcos do avô, a nadar no mar da ilha das Flores e a fazer mergulho.

Há nove anos, precisamente na véspera de completar os seus 18 anos, a Marina foi para o mar fazer as últimas provas para obter a sua carta de mergulho mas infelizmente algo correu mal, e a Marina teve um grave acidente, que a deixou até hoje, cega e presa a uma cadeira de rodas.

Contrariamente ao esperado pelos clínicos do Hospital de Ponta Delgada, do Hospital da Horta e do Centro de Medicina Física e Reabilitação do Alcoitão, a Marina Santos Lopes, hoje com 27 anos de idade e decorridos 9 anos do trágico acidente que a acometeu em 29-07-1998, tem demonstrado progressos. O Centro Internacional de Reabilitação Neurológica (CIREN) de Cuba, após ter estudado e avaliado toda a informação clínica da Marina, decidiu dedicar-lhe os seus serviços e mostraram-se preparados para a receber e a submeter a uma avaliação clínica neurológica e, de acordo com os resultados obtidos na mesma, definir com maior precisão as possibilidades de lhe aplicarem o seu programa terapêutico na sua Clínica de Lesões Estáticas Encefálicas do Adulto.

A Marina é uma fonte inspiradora para todos que contactam com ela, com cada fibra do seu espírito indomável e com toda a energia do seu corpo frágil é bem disposta e comunicativa. A Marina tocou-me no meu íntimo e por isso me dedico a esta causa sem alaridos, sem mediatização de promoção individual, sem glamour, sem "caridadezinha". Apoiar a Marina na sua recuperação simboliza a dádiva, a entrega, o amor ao próximo. A força que me move está resumida nas palavras de Jesus escritas no Evangelho de Mateus: «Em verdade vos digo, cada vez que fizerdes algo por um destes pequenos, a mim o fizestes».

A Marina partiu das Flores em direcção a Cuba com os pais no passado dia 26, mas se a Marina não tiver ajudas, vai ser impossível os pais suportarem só por si o que representa a grande esperança desta jovem de 27 anos.

Há momentos em que a vida se assemelha a um baloiço. Por vezes, temos os pés bem assentes na terra, não andamos nem para a frente, nem para trás, fazemos movimentos giratórios, aproveitamos a doce sensação de calma e de tranquilidade sem sairmos do mesmo sítio. Há situações em que, timidamente, começamos a ganhar balanço e ora avançamos, ora recuamos, quando vamos para a frente não fazemos conquistas extraordinárias, mas quando retrocedemos também não perdemos muito. No entanto, há dias em que resolvemos dar balanço e ver até onde conseguimos ir, decidimos perceber como será a sensação de marcar a diferença...

Muitos florentinos já aderiram à Campanha de Apoio, mas é necessária a ajuda de todas as pessoas de boa vontade. Peço a todos que se juntem a esta causa, que a divulguem o mais possível de maneira a conseguirmos fazer deste Natal, um Natal diferente e especial para a Marina e para todos nós.

Espero sinceramente que a Marina possa contar com o apoio e dedicação de todos nós nesta causa tão nobre.

Alice Correia da Rocha

Para poderem entregar o vosso donativo [através de transferência bancária]: NIB (Caixa Geral de Depósitos) - 0035 0714 0000 3074 5002 5.

24 comentários:

Anónimo disse...

Vamos ajudar gente nunca se sabe o dia de amanhã.
Só mais uma coisa, Houvi dizer que tambem avia mais uma menina com um problema em santa cruz alguém me sabe dizer quem é?

Anónimo disse...

deve ser a filha da Irina neta do falecido Camilo assim talves é mais facil de saber quem é

Bras Barbosa disse...

Acabei de ler esta noticia e gostava de ajudar.

Gostava de saber se posso divulgar este conteudo no nosso jornal online www.regiaodesporto.com? e se é posivel que nos enviassem uma imagem/foto da Marina para que possamos fazer um banner, uma publicidade a esta causa.

Se possivel agradecia que me contactassem pelo email: brasbarbosa@hotmail.com ou por MSN usando o mesmo endereço.

Toda a força Marina, nós vamos ajudar.

zénónimo disse...

No minímo caricato este peditório! Tratando-se de uma das familias mais abastadas de Santa Cruz com elevado património móvel e imóvel não compreendo o porquê deste movimento por uns cerca de € 5,000.00. Penso que se se tratasse de um pobre venderia logo alguns bens para tratar o seu familiar.

zénónimo disse...

Perdão queria dizer € 25,000.00

zé das couves disse...

O império desmoronou-se!!

Alice C. Rocha disse...

Caríssimo Zénónimo,
Como refiro no meu texto este peditório não recai sobre uma família mas sim sobre uma jovem: a Marina Lopes.
A Marina foi para Cuba levando na mala sonhos, esperança, força e muita fé!
Numa primeira fase vai ser submetida a uma rigorosa avaliação após a qual os médicos de Cuba vão expor quais as possibilidades de recuperação que a Marina possui, a que tipo de tratamentos terá que ser submetida e a duração dos mesmos, bem como contabilizar o montante que os pais terão que possuir para levar a cabo o tratamento.
Quando possuirmos esta documentação poderemos pelejar noutras frentes, mas como sabe tudo isto leva tempo até dar frutos e o maior receio de todos nós que estamos envolvidos nesta causa é imaginar que após a avaliação em Cuba, a Marina veja as suas expectativas de recuperação defraudadas por impossibilidade financeira para efectivar o tratamento, uma vez que cada ciclo de tratamento terá a duração de 4 semanas e por cada ciclo o CIREN exige pagamento adiantado. E a Marina poderá necessitar de vários meses de tratamento.
Por cada semana de tratamento os pais da Marina terão de dispor de uma média de 9,000.00 Pesos Cubanos Convertíveis fora qualquer intervenção cirúrgica a que necessite de ser submetida.
Para melhor o informar ainda o Peso Cubano está valorizado em 8% face ao Euro!
Portanto como pode verificar não se trata de trocos.
A Associação Cultural Lajense na qual estou integrada organizou um peditório porta a porta no passado final de semana e graças a Deus devo dizer-lhe 99% dos residentes no concelho das Lajes não partilham da sua opinião.
Os Lions Clube Pérola do Ocidente do qual sou Presidente vão doar o dinheiro que angariarem neste ano Lionístico a esta causa, mas temos consciência que o que conseguiremos angariar será uma gota de água no Oceano.
Mas acredito sinceramente que se todos nós trabalharmos em conjunto e dermos o nosso contributo a esta causa a Marina trará de Cuba uma mala cheia de sorrisos e oportunidade de viver uma vida diferente.
Pelo menos assim o desejo do fundo do meu coração!

zénónimo disse...

Carissíma D. Alice, eu acho que não fui bastante claro no meu comentário das 13:39, rectifico portanto, não está no meu imaginário outra coisa que não seja o bem estar e a recuperação dela. Sobre o que falei atrás não vou mais comentar porque seguramente outros comentários da mesma índole do meu aparecerão aqui. Conheço várias pessoas aqui na Ilha com extremas carências e que inclusivé já recorreram à banca para evacuações/tratamentos, e nunca vi ninguém minimamente interessado em promover bailes, peditórios ambulantes ou pedido para depósito em conta. Repito ,nada tenho contra, apenas contextualizando acho aberrante.

Anónimo disse...

1.00 CUP = 0.0257327 EUR
Esta "valorização de 8% face ao euro" não me diz nada.

Anónimo disse...

Realmente já houve gente com muitas mais dificuldades financeiras a necessitar de ajuda para intervenções cirurgicas e assistência médica e nunca vi nenhuma das pessoas, agora tão interessadas, a promover seja o que for para as ajudar. Porque será?

edu.vic disse...

se nao querem contribuir pelo menos calem-se,nao desanimem quem quer ajudar nao escrevão comentários estúpidos estejam calados

Anónimo disse...

Acho que ninguém é contra a recuperação da Marina, mas há que ter atenção á realidade.

Anónimo disse...

Oh Edu, o tempo das mordaças e censura já acabou, diz-me com esse nome deves ser jogador do benfas não?!?

Anónimo disse...

Desejo toda a sorte do mundo para a Marina, mas não compreendo porque a tentativa de recuperação dela depende da caridade alheia, quando a sua familia tem tantas posses.

Anónimo disse...

Deve ser medo de investirem o seu dinheiro numa recuperação infelizmente quase impossivel...

zénónimo disse...

Cara Engª Alice, viu quando lhe disse que outros comentários da mesma índole do meu apareceriam aqui? Não me vai dizer que somos todos burros e que vós os da iniciativa são os únicos visionários pois não? Por acaso conhece todo o património da familia? Olhe se não sabe informe-se e verá, e mais, quando pobre adoece vende vaca, vende terras, mas vende, não fica vivendo da esmola de ninguém, é curioso porque no passado fim de semana um amigo meu disse-me que era vergonhosa esta situação, disse ainda se fosse familiar meu irir à banca e solucionava logo o problema. Bom o que interessa é a Marina recuperar independentemente de tudo o resto.

Anónimo disse...

Mas que é que vocês sabem das posses desta familia??

Anónimo disse...

O património está a vista de qualquer um, meu caro.

Anónimo disse...

realmente ser reformado com pensão minúscula dar o seu contribuito no peditório que foi feito e depois ver alguem da familia a passear de mercedes descapotável,é duro!
mas colocando os oculos ví que afinal por baixo da matricula diz espaço queluz ou então era no outro peugeot já não sei... tou velho... mas ando a pé e não devo nada a nimguém.
ainda quero dizer apesar de tudo, vamos ajudar a Marina .

Anónimo disse...

A família pode ajudar.Era o que eu faria e evitava esta humilhação à jovem.

Anónimo disse...

boas tb sou contra a esse peditorio sendo eles uma familia cheia de posses e ke kuise tds os fds os primos ,prima e ate o proprio irmao andam c grandes bebedeiras, mocas enfim é um bocado triste eles nao pensarem na marina cm deviam

zénónimo disse...

Estava definitivamente para não mais comentar, mas mesmo assim ainda vou largar mais um pequeno comentário, é por demais lógico que a familia não é obrigada a ajudar, mas este ano passou-se um episódio no mínimo hilariante, certa pessoa aqui do burgo havia sido julgado em tribunal ao pagamento de cerca € 3,500.00, ora até ao dia limite esse dinheiro não apareceu, resultado foi detido para embarcar e cumprimento de pena de prisão na Horta, alguém não sei quem foi falar com um familiar (padrinho do arguido) afim deste efectuar o pagamento, ao que este respondeu que não pagava que fossem ter com a mulher, resultado a mulher pagou os cerca de € 3,500.00!! Tal e qual! Mais palavras para quê?

Identificado disse...

Isto mostra bem que a Marina e os pais precisavam mesmo deste dinheiro,ja que a familia não ia ajudar.

Anónimo disse...

Os Lions das lores devem ser os mais caretas que existem!!!