segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Comité Nacional das Reservas da Biosfera reuniu-se na ilha das Flores

A reunião semestral do Comité Nacional para o programa Man & Biosphere (MaB) realizou-se na passada sexta-feira (dia 15) nas Lajes das Flores, tendo sido precedida por visitas de campo às Reservas da Biosfera das Flores e do Corvo, onde foram apreciadas as propostas de relatório de reavaliação das Reservas da Biosfera do Corvo e da Graciosa, pelo facto de completarem 10 anos desde a sua distinção pela UNESCO.

‘Man & Biosphere’ é um programa científico da UNESCO, criado em 1971, para promover o equilíbrio entre as sociedades humanas e os ecossistemas, que devem sempre ter como objetivo último a conservação da biodiversidade, sem esquecer a importância da qualidade de vida das populações, integradas numa verdadeira estratégia de sustentabilidade.

Entre as onze Reservas da Biosfera existentes em Portugal, há quatro nos Açores, nomeadamente as ilhas Graciosa e do Corvo, classificadas em 2007, a ilha das Flores, que foi classificada em 2009, e as Fajãs de São Jorge, cuja classificação ocorreu em 2016.

Os Planos de Gestão dos Parques Naturais de Ilha e os Planos de Ação das Reservas da Biosfera estarão concluídos até ao início do próximo ano, garantiu a secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo. Marta Guerreiro salientou, por outro lado, a realização de cursos de Guias dos Parques Naturais dos Açores, que se vão realizar a partir do início de Outubro em São Jorge, na Graciosa e na Terceira, e que chegarão às Flores, Corvo e Santa Maria no início de 2018.

A visita do Comité Nacional para o programa Man & Biosphere decorreu de 12 a 16 de Setembro nas ilhas das Flores e do Corvo.


Notícia: revista «NO».
Saudações florentinas!!

sábado, 16 de setembro de 2017

A cruz da Igreja da Fajãzinha

A Igreja da freguesia da Fajãzinha, conforme consta da sua própria fachada, foi edificada pelo padre Alexandre Pimentel de Mesquita, em 1778. É monumento de uma dimensão notável, só semelhante na ilha das Flores à Igreja Matriz de Santa Cruz. A grandiosidade do templo pode hoje parecer surpreendente, mas outrora a freguesia tinha muitos habitantes e a Igreja era Matriz das povoações vizinhas, nomeadamente da Fajã Grande.

Félix Augusto Pereira Martins, um continental que a Marinha Portuguesa trouxe à ilha das Flores, que se fixou nas Lajes, constituiu família, foi empresário, funcionário da Direcção-Geral de Aeronáutica Civil e das empresas que lhe sucederam e deputado, conta que o padre António Joaquim de Freitas, o último pároco residente na Fajãzinha, já nos anos sessenta considerava difícil mobilizar paroquianos ágeis para efectuar a manutenção da Cruz da Trindade, que encimava a Igreja.

A degradação absoluta da cruz levou Félix Martins em 2015 a tomar a decisão de construir uma cruz igual à original, em homenagem à Igreja, à sua gente e à origem da sua esposa. Seguiram-se as peripécias para descobrir o modelo original, que um acidente em 2016 fez adiar. Felizmente a zeladora da Igreja, Teresa Avelar, tinha tido o cuidado de guardar os fragmentos que, embora muitos ferrugentos, permitiram tirar medidas correctas e riscar moldes, bem como recolher, para recuperação, o medalhão central.

Foram gastos cerca de 74 kg de barras de aço inoxidável polido, de varão e cavilhas, 300 eléctrodos, algumas dezenas de discos de corte, de rebarbar e de roletos de lamelas de lixa para polir.

A junção dos 98 elementos e o desgastante trabalho de soldadura, para evitar torturas, empenos e danos de respingos dos eléctrodos, demorou mais de dois meses, resultando numa cruz com 2,24 metros de altura e 1,33 de haste a haste, com cerca de 70 kg de peso, a qual foi oferecida à Comissão para os Assuntos Económicos em 19 de Agosto de 2017, imediatamente fixada no local da anterior e benzida antes da festa da padroeira Nossa Senhora Remédios.

Poderá dizer-se que, começar pela cruz, foi a melhor forma de vaticinar a prevista recuperação da Igreja, que está bastante degradada, mas será uma obra muito dispendiosa, de que a população da Fajãzinha vai ser capaz, pois há anos trabalham, em união e afanosamente, para o conseguir, desde agora sob a protecção duma divina e admirável obra de arte, iluminada de noite e brilhando de dia com o esplendor do Sol.

E Cristo compensará a iniciativa, a generosidade e o esforço.


Opinião de Renato Moura, publicada no portal Igreja Açores.
Saudações florentinas!!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Autárquicas 2017: debates na Antena 1

Anteontem e ontem a Antena 1 Açores transmitiu os debates radiofónicos entre os candidatos a presidente da Câmara Municipal das Lajes e de Santa Cruz.

Os dezanove concelhos açorianos vão continuar em debate na Antena 1 Açores nos próximos dias, pelas 8h30 e 18h15.
Saudações florentinas!!

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Espécies invasoras estão a expandir-se descontroladamente pelo arquipélago

A cana-roca continua a espalhar-se pelo território das ilhas dos Açores, aparentemente sem controlo.

Considerada uma das 100 espécies invasoras mais perigosas do mundo, a cana-roca entrou nos Açores por São Miguel e hoje é possível encontrá-la em todas as ilhas.

O avanço desta espécie invasora está sem controlo nas ilhas açorianas. Para o investigador Paulo Borges é urgente que as entidades oficiais se unam no combate à planta.


Notícia: «TeleJornal» da RTP Açores.
Saudações florentinas!!

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Autárquicas 2017: debates na RTP Açores

Anteontem e ontem a RTP Açores transmitiu os debates televisivos entre os candidatos a presidente da Câmara Municipal das Lajes e de Santa Cruz.

Os dezanove concelhos açorianos vão continuar em debate na RTP Açores nos próximos dias, pelas 20h40 após o TeleJornal.
Saudações florentinas!!

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Escola das Flores não consegue fixar novos professores porque PS alterou lei

As escolas açorianas mais afastadas estão a enfrentar problemas de estabilidade no quadro docente por causa da nova lei que desobriga os professores de permanecerem três anos no mesmo estabelecimento de ensino.

Deolinda Estêvão, da Escola do Corvo, diz que as escolas mais pequenas estão transformadas em plataformas giratórias de professores: "A alteração é muito simples. Antes os professores poderiam concorrer por três anos ou por um ano; actualmente, os professores concorrem só para vincular, não há obrigatoriedade de concorrer por três anos. Ao concorrer apenas por um ano, é-lhes permitido concorrerem no próprio ano letivo à afetação, que é o mesmo que dizer concorrer ao destacamento."

Muitos docentes vinculam numa escola e pedem, de imediato, transferência para outra escola. Ou seja, por exemplo, um professor que fique colocado na Escola das Flores, não precisa sequer vir ocupar esse lugar e pode pedir logo transferência para uma outra Escola.


Notícia: RDP Antena 1 Açores.
Saudações florentinas!!

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Cooperativa Ocidental não aumenta preço do leite aos produtores florentinos

Depois de São Miguel, da Terceira e da Graciosa, agora é a vez do preço do leite pago ao produtor aumentar também em outras ilhas.

Segundo apurou a Antena 1 Açores, os aumentos vão variar entre 1 e 2 cêntimos e deverão ocorrer nas ilhas de São Jorge e do Faial.

No Faial, a CALF está a preparar o aumento do preço do leite pago ao produtor em 1 cêntimo por litro, a partir do início de Setembro. A cooperativa de lacticínios do Faial debate-se com falta de matéria-prima para manter a fábrica a laborar todos os dias da semana, por isso este aumento pode ser visto como um incentivo à produção.

Em São Jorge, a UniQueijo também vai aumentar o preço do leite a pagar aos produtores da ilha, mas em 2 cêntimos por litro a partir de 1 de Outubro.

No Pico, a cooperativa Leite de Montanha não vai aumentar o preço a pagar por litro de leite entregue na fábrica, atendendo às obras que estão a decorrer na estrutura.

Já na ilha das Flores, a direção da Cooperativa Ocidental considera não ter condições financeiras para aumentar o preço do leite nesta altura do ano.


Notícia: RDP Antena 1 Açores.
Saudações florentinas!!

sábado, 26 de agosto de 2017

CMLF permuta terrenos com o Governo

O Governo Regional aprovou a cedência dos terrenos na zona das Presépias e dos Biscoitos para a Câmara Municipal de Lajes das Flores, por troca com as instalações pertença do Município onde se encontra instalado o Serviço de Ambiente das Flores.

Através desta permuta e com a posse dos terrenos a nascente do Estádio Municipal, o Município das Lajes fica com a posse de uma área de cerca de 80 mil metros quadrados numa zona central da vila, o que permitirá efetuar intervenções urbanísticas no futuro que permitam a fixação de pessoas, a criação de emprego e o desenvolvimento do concelho das Lajes.


Notícia: "sítio" da Câmara Municipal de Lajes das Flores.
Saudações florentinas!!

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Hora do Ofício: oficina de tecelagem

Atualmente, e em muitas regiões do país, a indústria caseira da tecelagem corre o perigo de extinção devido sobretudo à concorrência do comércio urbano e consequentemente à falta de artesãos que se dediquem a esta tradição artesanal. É, portanto, necessário proteger este património cultural, dignificar o saber-fazer e reforçar a sua capacidade de resistência.

Num abandono que tende a generalizar-se nos Açores, a tecelagem na ilha das Flores depende de uma única artesã, Maria da Conceição Câmara. Aprendeu a tecer em criança e ainda hoje mantem a atividade e a disponibilidade para a ensinar a quem demonstre interesse.

Sob a orientação e coordenação da artesã Maria da Conceição Câmara, as participantes desta oficina aprenderam a urdir a teia e a montá-la no tear, tecer usando a lançadeira e fazer os acabamentos das peças. Estas são as etapas do processo de aprendizagem inicial que a oficina “Tecelagem - Hora do Ofício”, organizada pelo Centro Regional de Apoio ao Artesanato ao longo de cerca de 100 horas na Vila das Lajes, se propôs realizar na expectativa de perpetuar esta tradição na ilha das Flores, onde a fiação e a tecelagem do linho e da lã foram, em outros tempos, atividades de grande expressividade.

Alguns foram os participantes/formandos, ao todo sete, que durante alguns meses frequentaram esta oficina. Sob a orientação da artesã Maria da Conceição Câmara, o balanço final foi positivo, até porque os trabalhos apresentados são disso prova. Aqui ficam as imagens possíveis.

Obrigado ao Centro Regional de Apoio ao Artesanato pela autorização da recolha de imagens, a todos os participantes e ao Museu das Lajes (onde foram captadas algumas imagens e onde decorreu a formação). Obrigado especial à Luísa Silveira, pela imprescindível ajuda nas imagens, bem como na produção.


Vídeo: YouTube de José Agostinho Serpa.
Saudações florentinas!!

terça-feira, 22 de agosto de 2017

William Braga recandidata-se pelo PSD

William Braga é pela segunda vez consecutiva o candidato do PSD à Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores e assume como prioridade a fixação de população no concelho.

"Temos uma grande hemorragia populacional. Estamos a perder muitas pessoas, e cada vez a ficar menos e a população mais envelhecida", disse William Braga.

O candidato social-democrata considera que uma das principais preocupações da autarquia de Santa Cruz das Flores deve ser a criação de emprego: "Como existe perda de população, uma das prioridades é arranjar condições para que se criem empregos para fixar pessoas", salientou.

A agricultura, a pesca e o turismo são setores que devem ser acompanhados, mas para William Braga também a procura de parcerias com Universidades e com os Governos regional e nacional, com vista à instalação de projetos na ilha que gerem emprego: "Existiu a possibilidade há anos de se criar aqui um pólo de Medicina veterinária, que foi criado na Terceira. Este pólo, na nossa ilha, tinha dado um grande dinamismo, porque vinham professores e alunos de todo o país e dava aqui, de Setembro a Junho, muito movimento", exemplificou.

Outra das propostas do cabeça de lista do PSD para fixar jovens no concelho é a recuperação de habitações degradadas: "Sei que existem jovens casais que querem ter uma casa e hoje em dia os bancos já não emprestam com tanta facilidade. A autarquia pode ter um papel importante nesse sentido, de adquirir e remodelar. Os casais ficam a pagar à autarquia, mas sem juros", defendeu William Braga.

A educação e a saúde são também preocupações do candidato do PSD, que quer saber porque não se deslocam mais médicos especialistas à ilha das Flores.

William Braga iniciou o seu percurso na política há quatro anos, quando foi candidato do PSD à Câmara de Santa Cruz das Flores, sendo desde então vereador na autarquia. O empresário, com 37 anos, disse que se voltou a candidatar por entender que o concelho mantém os mesmos problemas de há quatro anos e considerou que tem mais hipóteses de ser eleito a 1 de Outubro do que tinha em 2013: "Não vejo qualquer desenvolvimento e acredito que eu e as pessoas que estão na minha lista podemos fazer um trabalho mais dinâmico do que aquele que tem sido feito", frisou William Braga.


Notícia: «Açoriano Oriental» e «Diário de Notícias».
Saudações florentinas!!